domingo, 2 de outubro de 2005

os olhos livres de Carlão

"Gosto de enxergar o cinema como minha manifestação de vida. Busco em todos os filmes que assisto entender a pessoa que o fez. Continuo um ardente e radical defensor do cinema autoral. Desprezo todo e qualquer filme que esconda a alma do seu realizador. Não acredito em indústria cinematográfica; pelo menos, em países subdesenvolvidos como o Brasil. Aqui, que me perdoem os conformistas, cinema é - e tem de ser sempre - cultura de ponta. O país precisa do cinema para não perder a memória e os valores culturais mais preciosos. No mais, danem-se todos os responsáveis pelo audiovisual descartável."

Trecho da entrevista com o cineasta Carlos Reichenbach, o Carlão, no sítio Trópico, do também cineasta Carlos Adriano, reproduzida na íntegra no http://www.olhoslivres.com, onde podemos encontrar outras entrevistas, artigos, filmografia e fotos de filmes desse que é um dos mais criativos diretores do cinema brasileiro. Carlão tem a raridade de juntar numa só pessoa talento e conhecimento profundo do que faz com simpatia e humildade, sem deixar de manifestar seu olhar livre, crítico e lúcido, como se vê no recorte da entrevista.
“Bens confiscados”, seu mais recente longa, recebeu os prêmios de Melhor Direção, Melhor Atriz (Bete Faria), Melhor Ator (Werner Schüneman) e Troféu Samburá de Melhor Filme da Fundação Demócrito Rocha/Jornal O Povo, no CineCeará deste ano.
Entre filmagens, cursos, palestras e viagens, Reichenbach encontra tempo para manter além do site Olhos Livres o blog
http://www.redutodocomodoro.zip.net, um deleite de informações e imagens para os que gostam de cinema.

3 comentários:

NONATO ALBUQUERQUE disse...

Cada vez melhor o OLHAR PANORÂMICO. Vale a pena sempre passar por aqui. É uma tela da tela que é o cinema.

Adilson Marcelino disse...

Nirton,
Meu caro,
Cada dia gosto mais e mais de passar por aqui.
Um grande abraço,
Adilson
mulheres do cinema brasileiro

Cris disse...

sua página está ficando cada vez melhor! Beijos!