quarta-feira, 29 de junho de 2011

dona Myrian é "seletiva"

O discurso homofóbico da "beata" Myrian Rios é repugnante. O argumento de que ela tem liberdade de não querer um motorista homossexual ou uma babá lésbica, pra não correr o risco de ter seus filhos assediados, é frágil e revela extremo preconceito, como se por lógica, a opção sexual fosse uma doença e implicasse perversões e tendências criminosas.

Nessa perigosa linha de raciocínio, poderia-se pensar que todo e qualquer padre da Santa Madre Igreja Católica que a ex-atriz segue de Bíblia em punho, são pedófilos, e não deixaria meus filhos próximos deles. Mas não penso assim, dona Myrian. Não se classifica princípios por metonímias.

4 comentários:

Dalva Sá disse...

É, acho que ela apesar de andar com a bíblia em punho... Esqueceu de ler a passagem que diz! Não olhei o cisto "Traduzindo em miúdos... Defeitos ou algo mais... Do teu irmão, se não tiras o graveto do teu olho! Traduzindo em miúdos tb defeitos grandes! Acho que é isso!!!

Robert De Azevedo Stirling disse...

Doida, é o clichê ordinário que homossexual só pensa em sexo pervertido, esse pessoal que reprime os instintos confirma a sabedoria popular: Subiu prá cabeça!!!

Verônica Guedes disse...

É impressionante como qualquer fulerage nesse Brasil ganha manchetes dizendo besteira...

Deborah Dornellas disse...

maluqueceu. Essa gente me assusta.