quarta-feira, 30 de abril de 2014

beleza cruel


O cineasta malaio Tsai Ming-Liang, não faz concessão. Seu cinema é duro, seco, intratável. "Cães errantes" (Xi You), produção de Taiwan, 2013, confirma e radicaliza seu estilo rigoroso e ousado exposto em obras densas e tensas, como " “O Rio”, 1997, e “O Buraco” , 1998.

Com mais de duas horas de duração, no filme o tempo dialoga com o próprio tempo, com o silêncio petrificado, com a existência de pessoas carcomidas, pelo o despojamento e a feiura de seu cotidiano com atitudes intrigantes, patéticas, desesperadas, e também ternas.

Desconcertante e poético, "Cães errantes", recebeu Grande Prêmio do Júri no Festival de Veneza. 

domingo, 20 de abril de 2014

a palo seco


Desparafraseando Belchior, eu também já tive vinte e cinco anos de sonho e de sangue, e de América do Sul, por força desse destino, um tango argentino me vai tão bem quanto um blues...

40 anos da primeira gravação seca desse a palo...

40 anos de música


Quinteto Agreste, 40 anos de música no Ceará. Um grupo fiel ao que canta, às raízes, ao que brota em suas canções.

Quinteto Agreste faz parte da história da música cearense. 

Mereceram todos os aplausos ontem no show que apresentaram no Anfiteatro Dragão do Mar.

balanço na cruz

O ator que pegaram pra Cristo... depois da encenação, de crucificado, morto e sepultado, ressuscitou antes do terceiro dia e curtiu um balanço a céu aberto...

dando tempo


Trabalho de Fernanda Meireles, no Fuxico do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura. 

fuxico musical

Macaúba do Bandomim e DJ Estácio Facó, duas gerações de talentos no mesmo abençoado fuxico musical.

Macaúba do Bandolim

Esse senhor simpático da foto é José Felipe da Silva, 71 anos, conhecido como Macaúba do Bandolim, um patrimônio da nossa música cearense. Assisti a um show dele em Brasília, onde moro, no Clube do Choro, e sua habilidade com o instrumento tocando Waldir Azevedo, Ernesto Nazareth, João Pernambuco, Jacob do Bandolim, Pixinguinha, e tantos outros, deixou toda plateia imantada.

O mestre é uma lenda viva na história da música brasileira. Seu trabalho, seja interpretando clássicos e composições de sua autoria, contribui para preservar, e cada vez mais divulgar, o chorinho, um estilo musical centenário, ouvido e seguido por talentos de novas gerações, como Carlinhos Patriolino.

 Macaúba do Bandolim estará hoje na Arena Dragão do Mar, dentro da programação Fuxico do Dragão, a partir das 16h, no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza.

O Fuxico (acho esse nome ótimo!) acontece todos os domingos e, além de shows, reúne vinte expositores locais de moda, design e comida.

sábado, 19 de abril de 2014

viagem ao Cinema


Um casal de idosos resolve ir a Tóquio visitar os filhos. A viagem não foi em um momento oportuno, nem nunca será: os filhos, absorvidos pelo trabalho, não dá a atenção devida aos pais, nem sequer se sensibilizam que vieram de tão longe para vê-los.

Há um sentimento de indiferença e ingratidão, de um lado. E de resignação, do outro: os velhos retornam à sua casa e seu passado com a nobreza da compreensão.
Esse é o resumo de um dos maiores filmes da história do Cinema, "Viagem à Tóquio", também intitulado "Era uma vez em Tóquio", originalmente, "Tôkyô monogatari", de Yasujiro Ozu, de quem não sou fã: sou devoto.
Produção japonesa de 1953, o filme desmonta as relações familiares, mas com muita serenidade e sutileza, como deve ser para o entendimento e a reflexão de todos nós, seres imperfeitos metidos a sabidos. Realizado no pós-guerra, Ozu estabelece uma estrutura narrativa neo-realista, confrontando o velho e o novo Japão, muito bem definido no envelhecimento e na modernidade, nos filhos e nos pais, nas cidades e nos costumes, no efêmero que somos, no eterno que pretendemos.
Minimalista, o cineasta do cotidiano, dos laços e desenlaces familiares, disseca sentimentos que mexem com todos. Criador dos planos com tripé baixo, sua câmera-tatame está sempre na altura dos corações dos personagens, dos que partem e dos que voltam para casa.
O filme está em cartaz no Cinema do Dragão - Fundação Joaquim Nabuco, em Fortaleza, onde tem a melhor programação de cinema da cidade.
 

eu não sou cachorro não



o groove de Daniel


O talento de Daniel Groove, dessa gente jovem reunida, que estou pesquisando e mapeando para o meu documentário sobre a música cearense.
 

dia do índio Galdino

Na madrugada do dia 20 de abril de 1997, cinco jovens de classe média alta de Brasília, atearam fogo no índio pataxó Galdino Jesus dos Santos, que dormia num ponto de ônibus. Os burguesinhos alcoolizados e dementes acharam que o homem era mendigo, e disseram que pretendiam fazer “apenas uma brincadeira”, como se isso fosse "menos grave". O índio teve 95% do corpo queimado e faleceu horas depois no hospital.

Galdino voltava das comemorações do Dia do Índio, veio à Capital com outros sete líderes para pedirem pela recuperação de Caramuru-Paraguaçu, sul da Bahia, que são terras indígenas sagradas em conflito com fazendeiros. Chegou muito tarde dessas reuniões, cansado, com fome e sono, e a dona de uma pensão na W3 Sul não o deixou entrar.

Em 2001 os quatro criminosos maiores de idade receberam pena de 14 anos de prisão. Conseguiram alguns privilégios, como o direito de sair da cadeia para trabalhar e, desde 2004, 10 anos antes do previsto, estão em liberdade. Já foram vistos passeando em shoppings, filas de cinema, festas... O único menor de idade, na época com 17 anos, ficou apenas três meses detido numa instituição para menores infratores.

Hoje, 19 de abril, Dia do Índio. De todos os Galdinos.

dia do índio Galdino



Na madrugada do dia 20 de abril de 1997, cinco jovens de classe média alta de Brasília, atearam fogo no índio pataxó Galdino Jesus dos Santos, que dormia num ponto de ônibus. Os burguesinhos alcoolizados e dementes acharam que o homem era mendigo, e disseram que pretendiam fazer “apenas uma brincadeira”, como se isso fosse "menos grave". O índio teve 95% do corpo queimado e faleceu horas depois no hospital.

Galdino voltava das comemorações do Dia do Índio, veio à Capital com outros sete líderes para pedirem pela recuperação de Caramuru-Paraguaçu, sul da Bahia, que são terras indígenas sagradas em conflito com fazendeiros. Chegou muito tarde dessas reuniões, cansado, com fome e sono, e a dona de uma pensão na W3 Sul não o deixou entrar.

Em 2001 os quatro criminosos maiores de idade receberam pena de 14 anos de prisão. Conseguiram alguns privilégios, como o direito de sair da cadeia para trabalhar e, desde 2004, 10 anos antes do previsto, estão em liberdade. Já foram vistos passeando em shoppings, filas de cinema, festas... O único menor de idade, na época com 17 anos, ficou apenas três meses detido numa instituição para menores infratores.

Hoje, 19 de abril, Dia do Índio. De todos os Galdinos.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

mais cem anos de solidão


Gabriel García Márquez 
(1927-2014)

tentações da Páscoa

Este período pascoal é como aquele outro natalino. O interesse maior é pelo tamanho e sabores variados dos ovos de chocolates, assim como a noite de 24 de dezembro se resume aos presentes, peru-Sadia e fachadas iluminadas de apartamentos. Nada contra uma coisa e outra. O que incomoda é a hipocrisia de quem faz a festa.

Na foto, o ator Enrique Irazequi, interpretando Cristo em "O evangelho segundo São Mateus" (Il vangelo secondo Matteo), dirigido por Pier Paolo Pasolini, em 1964. O filme é excelente, foge a todo tipo de leitura das produções que mitificam e edulcoram a "maior história de todos os tempos". Passar na tv? Não vejo a mais remota possibilidade.