domingo, 24 de fevereiro de 2013

festa estranha com gente esquisita

Recuso-me a ficar insone madrugada a dentro assistindo entrega de Oscar: essa festa careta, com suas apresentações pirotécnicas e ocas, com seus apresentadores com piadinhas sem graça, com suas estrelas enfeiuradas com vestidos esquisitos, tudo celebrando um cinema medíocre, previsível, acomodado, salvo raras exceções de um e outro filmes pretensamente ousados, um e outro cineastas estrategicamente desobedientes aos ditames de uma cinematografia acadêmica e dominante.
Na fot, Orson Welles, que só ganhou um Oscar em toda sua ótima filmografia: pelo roteiro de "Cidadão Kane", em 1941. Perdeu Melhor Filme para "Como era verde o meu vale" (muito sintomático!), de John Ford, e ator para Gary Cooper em "Sargento York" (mais sintomático ainda para o bélico público americano).

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

fugindo pro cinema

Cinco ótimos filmes compoem a Mostra Fugindo do Carnaval, no Espaço Itaú de Cinema, em Brasília, de 8 a 14, quinta-feira. Foram exibidos "Dentro da casa" (Dans la maison), de Francois Ozon, "Atrás da porta" (The door), do húngaro István Szabó, "Pietá" (Hangul), o escandaloso filme do sul-coreano Kim Ki-duk, "Killer Joe - Matador de aluguel" (Killer Joe), de William Friedkin, e o inquietante "A caça" (Jagten), do dinamarquês Thomas Vinterberg, exibido hoje.

São filmes da safra recente de diretores que despertam um olhar atento, mais apurado, a uma cinematografia com diversidade de estilos e propósitos, e todos acima da mesmice que contaminam os multiplexes.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

o fôlego marginal

No ar o número 5 da revista Rebosteio, excelente, inquieta, provocante, reflexiva publicação eletrônica editada pelos caros amigos Rubens Guilherme Pesenti, Mercedes Lorenzo e Willina Delarte,figuras brilhantes da cena paulistana.

Temátic
a a cada fôlego, essa edição discute a cultura de rua, a marginal, a periferia, através de reportagens, ensaios, críticas, poemas, fotografias. Vibrante!

E mais uma vez tenho a oportunidade de estar por lá. Escrevi sobre o filme que me impressionou muito, "Eles voltam", de Marcelo Lordello, vencedor do Festival de Brasília ano passado. Inédito ainda no circuito comercial, o longa concorre esta semana ao prêmio Hivos Tiger, no prestigiado Festival de Internacional de Cinema de Roterdã, em Amsterdã.