quarta-feira, 29 de junho de 2011

dona Myrian é "seletiva"

O discurso homofóbico da "beata" Myrian Rios é repugnante. O argumento de que ela tem liberdade de não querer um motorista homossexual ou uma babá lésbica, pra não correr o risco de ter seus filhos assediados, é frágil e revela extremo preconceito, como se por lógica, a opção sexual fosse uma doença e implicasse perversões e tendências criminosas.

Nessa perigosa linha de raciocínio, poderia-se pensar que todo e qualquer padre da Santa Madre Igreja Católica que a ex-atriz segue de Bíblia em punho, são pedófilos, e não deixaria meus filhos próximos deles. Mas não penso assim, dona Myrian. Não se classifica princípios por metonímias.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

cinema gratificante

 
 foto Iluminuras Filmes
"Assim como o belíssimo cinema de Andrei Tarkovsky me interessa bastante, o cinema cearense me interessa também. Vou te dar um exemplo, o curta-metragem 'Um Cotidiano Perdido no Tempo', de Nirton Venancio, realizado em 1988, me encantou pela sua beleza e sensibilidade, quando eu tinha apenas vinte anos de idade e estava me decidindo se iria ou não fazer cinema."

Não costumo propagar citações que fazem ao meu nome... sou meio esquisito pra isso. Mas hoje me permito a esse deslize: fiquei comovido com a menção que o cineasta Petrus Cariry fez ao meu filme em entrevista ao site SobreCinema, sobre o seu novo longa "Mãe e filha" (foto) e suas influências cinematográficas.
É muito gratificante ter um trabalho como referência ao bom cinema que está se fazendo.
Entrevista completa aqui.

as máscaras do teatro

Nos bastidores de um teatro, três técnicos levam uma existência sem brilho e sem sonhos. Partindo desse ponto, o espetáculo "Teatro Desulio", do grupo alemão Familie Floez, joga com as infinitas facetas do universo teatral, entre o palco e os bastidores, entre a ilusão e a desilusão, criando um espaço mágico, cheio de humanidade. 

A Mostra Internacional de Teatro, encerrou a temporada ontem no CCBB, Brasília, deixando a platéia encantada. A impressionante técnica dos atores, com suas máscaras únicas e curiosamente expressivas, que compõem os personagens, fizeram-me assistir à peça duas vezes, na disputa louca por ingressos esgotados.

sábado, 25 de junho de 2011

luz, câmera, emoção!

 foto Jefferson Albuquerque Jr.
Primeiros takes do meu longa "Pessoal do Ceará": a cantora Teti, a claquete de Clébio Ribeiro, a praia de Jericoacoara.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

o chiclete certo

- Pai, vi na camisa de um moço "sou chicleteiro"... o que é isso?
- Ele deve gostar da banda de axé Chiclete Com Banana...
- Ah, tá... nada a ver comigo... gosto de chiclete, sem banana. 

Minha filha de 7 anos. Fazendo sua escolha certa.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

a razão porque mando um sorriso

Para fechar a ferida, para estancar o sangue, a paz na voz de Paulinho da Viola. Não se esqueça, por favor.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

traço do arquiteto


"Na minha idade, a melhor coisa de acordar de madrugada para ir ao banheiro é ter acordado." 

Oscar Niemeyer, 103 anos, arquitetando o dia.

domingo, 5 de junho de 2011

lixo pelo tubo

"Meu Deus, como fui fazer novela por tantos anos? Para ganhar dinheiro! E me sentia meio prostituído. Acho que um dos grandes males que a humanidade teve, aqui no Brasil, foi a invenção da televisão. A televisão deseducou, fez uma lavagem cerebral em todo mundo... Os valores morais ficaram sendo o da televisão." 

Somente agora aos 80 anos de idade e 46 de televisão, recluso em seu sítio em Guaratinguetá, SP, é que 'caiu a ficha' do ator Walmor Chagas.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Belair


Em 1970, dois jovens cineastas brasileiros fundam a Belair Filmes. Rogério Sganzerla e Julio Bressane realizam sete filmes de longa metragem entre fevereiro e maio de 1970. Assim, ensaiando uma outra imagem diferente daquela veiculada pela ditadura militar, os cineastas buscavam trazer para as telas uma nova proposta de dramaturgia, de captação da luz, da música e da montagem.

O filme documentário "Belair", dirigido por Noa Bressane e Bruno Safadi, resgata em momento oportuno a história desses cineastas e dos filmes inovadores que marcaram a cinematografia brasileira.

Para quem está em São Paulo, é uma ótima oportunidade de assistir a pré-estréia hoje.